topo
Melhorar os números significa acima de tudo, melhorar a qualidade do ensino, diz Felipe Camarão Melhorar os números significa acima de tudo, melhorar a qualidade do ensino, diz Felipe Camarão
O Estado do Maranhão deu um salto de 2,8 em 2013 para 3,4 em 2017 no IDEB. O anuário da educação 2019, da ONG ‘Todos pela Educação’, também ratificou a melhoria dos índices
Por Redação /F | 05/08/2019 ás 07h29

O Governo do Estado tem estimulado a qualidade da educação nas escolas com uma série de ações focadas na aprendizagem dos estudantes. Recentemente, temos acompanhado o secretário de Educação, Felipe Camarão, divulgar uma série de reuniões com gestores de escolas de todo o estado, para traçar as metas para o segundo semestre letivo.

Falamos com ele agora, que vai detalhar essas ações e anunciar premiação a alunos, professores, gestores e escolas que alcançarem os melhores resultados em avaliações educacionais.

1 – Secretário, o governo divulgou ano passado que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) do Maranhão melhorou. Como seu deu essa melhoria, ou seja, a elevação dos índices?

O Estado do Maranhão deu um salto de 2,8 em 2013 para 3,4 em 2017 no IDEB. O anuário da educação 2019, da ONG ‘Todos pela Educação’, também ratificou a melhoria dos índices. No ranking dos estados do Nordeste, o ensino médio do Maranhão saiu do 5º lugar para o 3º, entre os 9 estados, ficando atrás apenas de Pernambuco e Ceará; melhoramos o rendimento dos estudantes (aprovação, reprovação e abandono), com taxas superiores à média do Nordeste. Isso se deu pelo trabalho sério e responsável de um governo que prioriza a educação com investimentos na melhoria da infraestrutura das escolas e na qualidade da aprendizagem.

2 – Fala-se bastante em programa Mais IDEB, em que consiste essa ação?

O programa Mais IDEB foi instituído pelo governador Flávio Dino para melhorar os indicadores educacionais. Começou como projeto em 2016 e foi ampliado para programa, com um conjunto de ações que vão desde aulões para os estudantes, formação continuada de professores, acompanhamento pedagógico e monitoramento dos rendimentos de cada escola da rede estadual.   

3 – O senhor vem realizando uma série de reuniões nas regionais do Maranhão. Qual o objetivo desses encontros? 

Estamos conversando com gestores escolares de todas as 19 Unidades Regionais da Educação (UREs) para que as ações estejam alinhadas ao foco principal da educação, que é a aprendizagem dos estudantes. E esse é o fundamental, os estudantes precisam aprender com qualidade, é necessário que haja, também, formação continuada em serviço, uma gestão democrática e comprometida com resultados. Essa tem sido nossa mensagem, por determinação do governador Flávio Dino, aos gestores escolares. Cada um cumprindo seu papel, acreditamos que teremos resultados ainda melhores. Estou indo pessoalmente em todas as regionais, porque como liderança da rede de ensino estadual, sinto-me na obrigação de ter essa conversa de perto com eles. É um trabalho de estímulo mútuo. Assim como me sinto motivado em estar com quem está no dia a dia nas escolas, acredito também que estou estimulando nossos gestores a abraçarem esse nosso desafio, que é tornar nossa educação de qualidade e atrativa para nossos jovens. Essa é nossa obrigação enquanto servidores públicos da Seduc.

4 – Além do IDEB, há outro índice ou ferramenta do governo que avalia a educação do estado?

O Governo do Maranhão criou o Seama, que é o Sistema Estadual de Avaliação do Maranhão, uma política de acompanhamento das escolas, indicadores educacionais e melhoria da aprendizagem dos estudantes. Já aplicamos a primeira avaliação e obtivemos resultados de escola, o que nos permite traçar as metas para a educação do Maranhão, seja para a rede estadual ou para as redes municipais. Isso é inédito no estado. 

5 – Secretário, sabemos que o IDEB avalia a rede pública do Maranhão como um todo, de que forma o governo tem apoiado os municípios para que melhorem seus índices também?

O Programa Escola Digna, que é a macropolítica de educação do Governo, tem, entre seus eixos o regime de colaboração, com ações de construção de escolas de alvenaria equipadas em substituição a estruturas inadequadas nos municípios, assessoria técnico-pedagógica às secretarias, apoio ao transporte escolar, entre outras ações de apoio e suporte às redes municipais de ensino. Além disso, neste ano, o governo criou o Pacto pela Aprendizagem com adesão de 215 municípios que, junto com o Estado e parceiros como o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME-MA), a Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) e o Conselho Estadual de Educação, trabalharão para garantir qualidade de educação a todas as crianças maranhenses.  

6 – Na prática, como essas ações para elevar o IDEB ocorrem na sala de aula?

Criamos algumas estratégias para requalificar o ensino e a aprendizagem. Entre elas, a formação de professores de mais de 16 mil professores; a distribuição de cadernos dos Componentes Curriculares Língua Portuguesa e Matemática; o Simuladão Mais IDEB, que este ano já realizamos dois, envolvendo mais de 290 mil estudantes do Ensino Médio, onde os estudantes fazem provas nos mesmos moldes da Prova Brasil; e os Aulões Mais IDEB, onde os professores de Língua Portuguesa e Matemática voltam às escolas todos os sábados para reforçar o conteúdo com os alunos. Os aulões têm acontecido em todas as escolas da rede. E uma novidade, agora, nesse segundo semestre, são as chamadas ‘Aulinhas’, onde o professor na sua aula normal, tiram um tempo para trabalhar os descritores exigidos nas avaliações nacionais. Também estão sendo gravadas vídeo-aulas onde professores selecionados perla Seduc, de uma forma mais dinâmica, reforçam esse conteúdo. Então, há uma conjunção de esforços para melhorar a educação no nosso estado. Melhorar os números significa acima de tudo, melhorar a qualidade do ensino.

7 – E como estimular os estudantes a se envolverem nessa ação? O que secretaria tem feito para motivar os jovens a se dedicar aos estudos?

Instituímos o prêmio Mais IDEB, como reconhecimento aos estudantes, professores e gestores escolares que alcançarem os melhores resultados no Programa. Haverá premiação em dinheiro e também bolsa de estudo em qualquer instituição de ensino superior, situada no Estado do Maranhão, aos estudantes que melhor se classificarem nos simulados. Estabelecemos alguns critérios de acordo com a categoria como frequência escolar, participação nos aulões e na Prova Brasil. Recentemente fizemos o anúncio da construção da tão sonhada quadra poliesportiva do Centro de Ensino Ana Isabel Tavares, em Dom Pedro, escola que obteve a maior nota do IDEB em 2017, entre as civis. Portanto, o governo Flávio Dino possui uma política permanente de reconhecimento e valorização dos bons resultados de nossas escolas.

Fonte: O Imparcial

Relacionadas

Categorias:  

Política
Destaques